domingo, 4 de agosto de 2013

Compreensão

Sempre estou disposta a entender, mas, por favor, faça questão de ao menos tentar explicar. Porque, se eu tiver que adivinhar, tenha certeza não será uma versão boa pra você.
Pelo mesmo motivo que mães quando acordam e não encontram seus filhos em casa, elas não pensam que eles estão na balada se divertindo. Elas acreditam logo que eles correm algum risco.
Não sei que gene é esse feminino que tende logo a crer no pior, mas sei que nasci com esse defeito.
Gosto quando você se esforça para me explicar as coisas, não pela explicação ser necessária. Mas porque nessa hora a sua atenção é toda minha, eu sei que você esta tentando imaginar qual explicação vai me convencer.
Apesar disso, detesto quando você só me dá atenção nessas ocasiões. Às vezes me sinto tão invasiva quando teu silêncio se prolonga e eu não sei exatamente o que está acontecendo.
E no fim de tudo pode nem estar acontecendo nada... E esse maldito senso de controle feminino me faz criar milhões de histórias absurdas.
Não, não sei como eu cheguei até aqui com tantas dúvidas e incertezas, pra dizer a verdade nem sei como você me aguenta com tanta cobrança.
Posso até pedir desculpas pelo rompante agressivo, por ter chamado sua prima de vaca e sua ex de puta. Sei que posso me arrepender de tudo, mas sei que todo esse arrependimento não vai ser capaz de desfazer o que eu fiz.
Mas se você tivesse me dito, se você não tivesse essa maldita mania de me esconder as coisas, e se tivesse me contado que esse era um jantar de noivado, talvez todos vocês agora pudessem me ouvir e ter pena de mim. Eu sou tão patética. Mas não você fez questão de me esconder que “seu evento” de família era a celebração de um compromisso, mas que nem era “seu” compromisso.

Agora nenhuma desculpa vai fazer vocês cuspirem o cianureto da sopa de entrada desse lindo jantar de noivado, e posso gastar todas as lindas palavras do meu vocabulário arrependido, mas nenhuma delas vai me salvar quando a polícia chegar com a ambulância que eu chamei quando percebi o engano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário