terça-feira, 22 de junho de 2010

Um sonho

Depois de quase dois meses vim depositar um sonho para aqueles que curtem sonhar.

Sobre minha vontade de beija-lo

Eu, aqui, miro sua boca, como quem mira o alvo, mas tem medo de atirar. Eu, daqui, ouço sua voz e permaneço quieta, perdida nos sonhos de beija-lo. A cada dia é mais difícil essa convivência. Eu sempre tenho disso, achar que por alguém ser mais do eu posso ser, só por ser sincero, quero beija-lo, cala-lo, toca-lo, subjuga-lo. Porque sei que eu faria. Sei que calaria todas as suas idéias brilhantes se o beijasse.
Antes, eu teria medo dessa experiência. Se encontrasse alguém como você, que diz coisas que se parecem tanto comigo: insegurança, medo, rejeição, sairia correndo. Mas agora eu percebo, quero te dar um pouco do que consegui. Seria como se te mostrasse qual é o caminho de saída desse poço sem fundo.
Mas o que eu faço? É só te zoar, contar piadas, fazer graça até você rir de si mesmo, de mim mesma. Eu sou assim, como você se descreve. Sou essa “loser” que você se condena. Mas aprendi a não contar isso para ninguém. Eu aprendi e tenho vontade de te ensinar com beijos, com minha boca cheia de certeza de que te quero, com minhas mãos cheias de carinho por você.
Mas você vê? Não, continua preso e cego em seu próprio mundo de desgraças engraçadas. Eu estou aqui no seu quarto, descobrindo pela primeira vez os defeitos da sua cama, o barulho do seu colchão e você continua falando, como se o mais importante fosse entender, quando para mim, o mais importante é sentir, é respirar no ar, é intuir. Trocamos de assunto com a velocidade própria dos que muito falam e pouco tem a dizer. Eu continuo aqui com essa vontade de me aproximar.
Não é bem uma rejeição que temo. Mas você é um tipo de pessoa nova no meu dia-a-dia e não quero perde-lo, nem assusta-lo. Eu e minhas certezas temos medo de afasta-lo antes que possa aproveitar mais de sua companhia.
Mas a cada dia minha boca sente mais sede da tua, e da próxima vez que eu tiver uma oportunidade se considere acertado. Porque não vou só mira-lo. Eu vou atingi-lo com essa força que cresce dentro de mim. E me dá todas as razões para prova-lo.

Márcia Cristina Lima
17/08/02